Terça-feira, 22 de Setembro de 2015
22.09.2015 - Por Fora de Série, às 13:30

 

 

3350009_0066.png

 

Uma Cruz Processional do século XIII/XIV, uma peça rara, vai à praça no Palácio do Correio Velho. Integra o Leilão de Antiguidades e Arte Moderna e Contemporânea.   

A cruz de Limoges, cuja licitação parte dos cinco mil euros, é apenas uma das muitas peças de um vasto e variado lote de 993. Áreas como a pintura – com 145 lotes de onde sobressaem nomes como Eduardo Viana, Maluda, Noronha da Costa, Bual, Tomasini, Tomaz Rey Colaço, Sousa Pinto, Lima Freitas, Lourdes de Castro, entre outros -; escultura e imaginária; perto de 60 peças de joalharia e igual número de porcelana; mais de 100 de mobiliário; cerca de 200 lotes de ourivesaria e outros.  

Raridades como, uma forma para marcar bolos em nogueira esculpida, século XVI/XVII, que vai à praça com uma base de licitação de 20 mil euros; um cálice com tampa em prata alemã, século XVII (com uma base de 10 mil); um meio-adereço português do século XVIII, composto por pendente e par de brincos em prata, ouro, esmeraldas e diamantes (que parte dos 10 mil euros) ou o cofre Neo-manuelino em filigrana de prata portuguesa e esmaltes, do século XIX/XX, com uma base de quatro mil euros.

Tudo num leilão que decorrerá nos dias 22 e 23, às 19h30, e 24 e 25, às 15h00, no Palácio do Correio Velho, na Calçada do Combro, 38, em Lisboa. CSB

 

Tags: