Sexta-feira, 3 de Julho de 2015
03.07.2015 - Por Fora de Série, às 12:30

PD_1968_bottle_reflect_HR.jpg

À Atlantis, do grupo português Vista Alegre Atlantis, coube a produção de 145 frascos para o exclusivo whisky The Glenrothes Single Cask 1968, cujo preço ronda os oito mil euros.

Cada frasco é soprado individualmente pelos mestres vidreiros da fábrica de Alcobaça, ao qual é depois aplicada uma placa de metal polido numa das faces, com a gravação do ano de destilação e numerada, de forma a garantir a exclusividade. As garrafas em cristal são depois embaladas num estojo de couro fino e lá dentro contêm o terceiro engarrafamento do The Glenrothes Single Malt Scotch Whisky, da colecção Extraordinary Cask. 

Para a Vista Alegre Atlantis “É um orgulho assegurar a produção de um whisky tão exclusivo como este [..] e o reconhecimento da nossa qualidade junto dos mercados internacionais”, afirmou o Director de Marketing e Design Externo da Vista Alegre Atlantis, Nuno Barra.

Recorde-se que o frasco Glenrothes conquistou o Prémio Mundial de Whisky em 2013. CSB

 




Quinta-feira, 25 de Junho de 2015
25.06.2015 - Por Fora de Série, às 18:45

Palacio_Nacional_de_Queluz_creditos_Emigus.jpg

 

O Palácio Nacional de Queluz é, amanhã, o palco eleito para a estreia mundial da serenata “L'Isola Disabitata - Serenata per musica”, do compositor David Perez.

O espectáculo, agendado para as 18h na Sala do Trono, é promovido pela Parques de Sintra e será interpretado pelo Divino Sospiro - Centro de Estudos Musicais Setecentistas de Portugal, sob a direção musical de Massimo Mazzeo e com a participação das sopranos Joana Seara e Francesca Aspromonte, do sopranista Francesco Divito e do tenor Bruno Almeida.

Considerado um dos compositores mais relevantes no panorama musical europeu da segunda metade do séc. XVIII, David Perez, de origem napolitana, foi o compositor da casa real portuguesa entre 1752 a 1778, tendo dirigido a vida musical da corte até à sua morte.

Da obra “L'Isola Disabitata”, escrita expressamente para ser apresentada no Palácio de Queluz – então residência oficial do Infante D. Pedro e da futura rainha D. Maria I – restam hoje apenas duas partituras manuscritas, uma na Biblioteca do Palácio Nacional da Ajuda e a outra na Biblioteca do Conservatorio di Musica San Pietro a Majella, em Nápoles. Os bilhetes para o espectáculo de amanhã custam dez euros e estão à venda nas bilheteiras da Parques de Sintra, online, na FNAC, Worten, El Corte Inglés, MEO Arena, Media Markt e ainda nos postos de Turismo de Sintra e de Cascais. IQ




Segunda-feira, 22 de Junho de 2015
22.06.2015 - Por Fora de Série, às 13:30

FS Young.jpg

 

Um livro de luxo, íntimo, lindo, que comemora oficialmente o centenário do nascimento de um senhor: Frank Sinatra. Está limitado a 1000 cópias e tem um preço igual em dólares. Cada cópia está assinada e autenticada pelos três filhos: Nancy Sinatra, Frank Sinatra Jnr., e Tina Sinatra. A co-editora é a sua neta, Amanda Erlinger. É um livro pessoal, com muitas e raras fotos da vida do homem que nasceu Francis Albert Sinatra em Hoboken, Nova Jérsei a 12 de Dezembro de 1915 mas que ficou conhecido por “The Voice”. Apenas isso porque algo tão grande não precisa de mais.

 

FS Cover.jpg

 

Nas quatrocentas páginas podemos ainda ler muitos testemunhos de quem o conheceu bem, muito bem ou simplesmente foi tocado pelo seu talento como Martin Scorsese, George Clooney, Billy Joel, Quincy Jones, Paul McCartney, Tony Bennett ou a sua primeira mulher, Nancy Sinatra. BL




Segunda-feira, 25 de Maio de 2015
25.05.2015 - Por Fora de Série, às 13:34

image002 (1).jpg

 

Vão esta semana a leilão 23 obras de Júlio Pomar, incluindo "O Almoço do Trolha", a mais importante obra do neo-realismo em Portugal. E este é apenas um dos 565 lotes que o Palácio do Correio Velho leva à praça. Durante o dia de hoje, poderá passar pelo Palácio do Correio Velho, entre as 15h e as 20h para visitar as obras escolhidas para o leilão de Maio, presentemente em exposição. Este irá decorrer nos dias 27 e 28, pelas 19h30. Entre 565 lotes, a casa leiloeira destaca as 23 obras do pintor Júlio Pomar, nomeadamente “O Almoço do Trolha”,  uma das obras mais emblemáticas e representativas do neo-realismo em Portugal.

Ainda na área da pintura, dos 138 lotes escolhidos são de notar os nomes de artistas consagrados como Eduardo Viana, José Lima de Freitas, Nadir Afonso, Paula Rêgo, Sá Nogueira, Eduardo Batarda, Carlos Botelho, Artur Bual, Cargaleiro, Columbano e Costa Pinheiro. Destacam-se também outras peças como a escultura de Diana, Deusa da Caça, em mármore de Estremoz e o Relógio Inglês Jorge III de Stephen Rimbault.

Pode consultar o catálogo completo no ‘site’ do Palácio do Correio Velho. CLM




Quarta-feira, 20 de Maio de 2015
20.05.2015 - Por Fora de Série, às 02:27

21_Casaca_cavaleiro_tauromaquico_e_aderecos_cavalo

 

O Palácio Nacional de Queluz já abriu as portas da única biblioteca nacional dedicada à Arte Equestre. A “Biblioteca de Arte Equestre D. Diogo de Bragança, VIII Marquês de Marialva” está aberta ao público e possibilita, não só, a consulta de publicações da especialidade, como também deambular pelo pequeno núcleo museológico que tem expostas 165 gravuras, uma pintura que retracta a família dos 3ºs Duques de Lafões e outra do 6º Marquês de Marialva, uma casaca de cavaleiro tauromáquico e uma réplica de cavalo ajaezado com gualdrapas e xairel de finais do século XVIII.

Adquirido pela Parques de Sintra, em 2014, aos herdeiros de D. Diogo de Bragança - cavaleiro e um apaixonado pela área da qual foi coleccionando publicações (1930-2012) -, o espólio implicou um investimento de 380 mil euros, a que se somou um outro de cerca de 60 mil na recuperação das três salas que o albergam, no Palácio Nacional de Queluz.

O público passa a ter acesso a 1.400 títulos impressos e manuscritos desde o século XVI, alguns dos quais raros, como um exemplar de Johannes Stradanus (1578); a Arte da cavallaria de gineta, e estardiota, bom primor de ferrar & alueitaria, de António Galvão de Andrade (1678); e uma das 23 edições consideradas parte do “Cabinet du Roi”, que relatam momentos do reinado de Luís XIV. E o horário de abertura é de segunda a sexta-feira, das 9h30 às 13h00 e das 14h00 às 17h30. CSB

 

22_Palacio_Nacional_de_Queluz_creditos_PSML_Wilson

 

 




Quinta-feira, 14 de Maio de 2015
14.05.2015 - Por Fora de Série, às 13:30

 

 

VA.png

 

A Vista Alegre estabeleceu uma parceria com a Maison Oscar de la Renta - uma aposta clara no mercado americano - da qual resulta a Colecção Coralina. A parceria visa reforçar a presença da Vista Alegre no mercado americano (a Oscar de la Renta está sedeada em Nova Iorque), enquanto prossegue a filosofia de colaboração com criativos, designers e artistas internacionais, como explicou o Director de Marketing e Design Externo de Vista Alegre, Nuno Barra.

Recorde-se que a empresa de porcelanas portuguesa tem também parcerias com nomes como Christian Lacroix, Sam Baron, Karim Rashid, Siza Vieira e Joana Vasconcelos, entre outros.

As peças incluem um serviço completo de mesa, café e chá e apresentam-se em motivos florais com um único tom de cor, o coral. E é inspirada num vestido da colecção Primavera/Verão de 2006, enquanto a escolha da cor reflecte uma das preferências de Oscar la Renta – reconhecido pelas colecções em cores vibrantes, tecidos luxuosos, bordados e ornamentações requintadas. 

A colecção já está à venda nos Estados Unidos e online em www.myvistaalegre.com. Nas lojas da marca em Portugal, chegará durante a próxima semana. CSB




Segunda-feira, 11 de Maio de 2015
11.05.2015 - Por Fora de Série, às 13:30

 

Frida-Kahlo-1.png

 

Pela primeira vez, os portugueses vão ter oportunidade de ver uma exposição de fotos originais de Frida Kahlo, onde são revelados momentos que testemunham a vida da mexicana considerada um símbolo da força e independência feminina. 

A exposição “Fashion Icon Frida Kahlo” estará patente de 15 a Maio a 12 de Julho, no Cascais Shopping, e é composta por 44 que retractam a infância, adolescência, idade adulta, nomeadamente de momentos passados com o marido, Diego, e em família e com amigos. As fotografias que fazem parte de uma colecção privada – que já pertenceu à familía de Frida - são de autores como Lola Alvarez Bravo, Manuel Alvarez Bravo, Florence Arquin, Fritz Bach, Lucienne Bloch, Imogen Cunningham, Guillermo Dávila, Gisèle Freund, Héctor García, Juan Guzman, Fritz Henle, Antonio Kahlo, Guillermo Kahlo, Berenice Kolko, Leo Matiz, Nickolas Muray, Victor Reyes, Diego Rivera, Bernard Silberstein, Carl Van Vechten e Edward Weston.

Frida Kahlo nasceu a 6 de Julho de 1907, na Cidade do México, e perto dos 6 anos contraiu uma poliomielite que lhe deixou sequelas na perna e pé direito. Aos 18 anos sofreu um acidente que lhe provocou fracturas graves na coluna e pélvis e que a obrigou a estar hospitalizada várias semanas. Mas nem mesmo este segundo contratempo a demoveu dos seus sonhos e começou a pintar em casa. Terminou o primeiro auto-retrato um ano depois. Os problemas de saúde foram-se acentuando cada vez com maior gravidade, mas Kahlo nunca deixou de pintar e apoiar as causas políticas em que acreditava. Em 1953 vê acontecer a sua primeira exposição individual no México. Uma semana depois do 47º aniversário, Frida acaba por falecer. Mas a obra e a memória de uma mulher corajosa que vestia cores e colares coloridos essa permanece e pode ser lembrada (ou descoberta) agora em Portugal. CSB




Sexta-feira, 8 de Maio de 2015
08.05.2015 - Por Fora de Série, às 13:30

 

image003.png

 

A 56ª Exposição Internacional de Arte da Bienal de Veneza 2015 arranca já este sábado, dia 9 de Maio, e permanecerá até 22 de Novembro. Portugal está representado por João Louro.

Numa edição que marca os 120 anos de existência, a Bienal intitulada “All the World’s Futures” e com Okwui Enwezor como director-artístico, conta com a participação de 136 artistas oriundos de 53 países. Cinco dos quais participam pela primeira vez: Ilhas Maurícias, Grenada, Seicheles, Mongólia e Moçambique; Equador, Filipinas e Guatemala regressam após anos de ausência. As obras expostas distribuem-se pelos históricos Giardini – um parque cujos jardins foram mandados construir por Napoleão Bonaparte, através da drenagem de uma área de sapal, e que alberga 30 pavilhões - e pelo Arsenale, o mais importantes estaleiro da cidade, e ainda por alguns palácios da cidade de Veneza, como é o caso de Portugal.

Sedeada no Palazzo Loredan, um exemplar da arquitectura veneziana do século XVI, a exposição “I Will Be Your Mirror/Poems and Problems” de João Louro, consagrado em áreas como a pintura, escultura, fotografia e vídeo, é inspirada na canção dos Velvet Underground, com o mesmo nome. Sinalização das estradas, imagens, fotografias e livros, utilizados de forma diferente da que é encontrada no quotidiano de forma a fazer o visitante desconstruir a imagem estanque e a encontrar uma nova função para cada uma das peças. “Olhar o passado para representar o futuro”, como explicaram Louro e María de Corral, a curadora que comissaria a representação portuguesa (que pode ser visitada de segunda a domingo, entre as 10h e as 18h).

Com destaque na Bienal encontra-se um conjunto de obras encomendadas especificamente - 159, um número sem precedentes na história do evento – e um itinerário de perspectivas históricas de artistas vivos e falecidos, sob várias expressões como esculturas de néon a filmes. É possível ver também obras de artistas consagrados como o fotógrafo Walker Evans; o cineasta Sergei Eisenstein; o escultor-compositor Terry Adkins ou o artista performático Fabio Mauri, entre muitos outros, assentes no tema da Bienal - “All the World’s Futures” – que visa encontrar novas ligações entre os trabalhos dos artistas de todo o mundo no sentido de repensar a condição humana.

Durante a Exposição decorrem ainda mostras e ‘performances’ paralelas de que é exemplo o “Becoming Marni” (na foto), que ocupará algumas divisões da Abadia de San Gregorio e o espaço circundante. Uma instalação composta por 100 esculturas que ganharam uma nova vida de aproveitamentos de madeira e galhos encontrados ao longo do rio, criadas pelo artista brasileiro Véio (habitante de uma aldeia do Nordeste brasileiro), representativas de um cenário de um mundo mais sustentável e amistoso, que é no fundo o cerne desta Bienal. CSB

Tags: ,



Sexta-feira, 24 de Abril de 2015
24.04.2015 - Por Fora de Série, às 10:30

_MG_1483-1.jpg

Se precisa de arranjar uma boa desculpa para fazer as malas e ir passar uns dias a Marraquexe, nós damos-lhe uma ajuda. Até 30 de Setembro, o lendário La Mamounia (hotel emblemático desta cidade marroquina, com um reconhecido papel como mecenas da arte e da cultura) acolhe uma original exposição de Julien Marinetti.

_MG_1448-1.jpg

O escultor francês tornou-se conhecido em 2004 com «Doggy John», escultura que retratava o seu cão, um buldogue que é hoje uma espécie de imagem de marca do artista e serviu de inspiração a uma obra composta por grandiosas esculturas em bronze que têm os animais e a cor como tema. No total, 60 peças do artista, com tamanhos que variam entre os 36 e os 240 centímetros, viajaram desde o seu atelier em Paris até Marraquexe, habitando até ao final do Verão os centenários jardins e lindíssimos salões do La Mamounia. A galeria ideal, sem dúvida.Catarina Palma

_MG_1516-1.jpg




Quinta-feira, 23 de Abril de 2015
23.04.2015 - Por Fora de Série, às 15:30

 

 

sala-rafael-2.gif

 

Reabriu ao público a Casa Museu de São Rafael, com oito novas salas. Fundado em 1884, o Museu está situado na antiga casa do filho de Rafael Bordalo Pinheiro, Manuel Gustavo, nas Caldas da Rainha. O acervo é constituído por peças produzidas na fábrica de cerâmica ao longo dos anos, por desenhos, documentos fabris, fórmulas de constituição dos barros vidrados e por uma colecção de moldes originais em gesso superior a mil exemplares.

As visitas à Casa Museu São Rafael realizam-se de terça a sexta, das 9h às 12h30, mas estão sujeitas a marcação prévia através do telefone 262839380 ou email museu@bordalopinheiro.com. CSB




Quarta-feira, 22 de Abril de 2015
22.04.2015 - Por Fora de Série, às 13:30

ToZeCanaveira3.gif

A 3ª edição do “Art & Moto” está quase a arrancar. Nos dias 24, 25 e 26 de Abril, Lisboa acolherá o evento internacional que cruza motos com arte, surf, moda, design e música.  

Em dois edifícios do Lx Factory, em Alcântara, estarão patentes exposições de Arte plástica, roupa de surf e casual, ‘surfboards’, capacetes personalizados, equipamento técnico e acessórios, bem como os últimos modelos das grandes marcas.. A apoiar, um ‘cocktail bar’, barbearia, ‘photo spot’, ‘Dj sets’ ao longo do dia e outras actividades como poasseios de motos durante a manhã.

Como a vida não é só trabalho, este promete ser um evento bastante descontraído, a começar pela festa de abertura que decorrerá na Fábrica do Braço de Prata, no dia 24, às 19h. Já as exposições, no LxFactory, têm entrada gratuita e estarão abertas nos dias 25, das 15h às 24h, e 26, das 12h às 24h, com festa de encerramento. CSB




Segunda-feira, 20 de Abril de 2015
20.04.2015 - Por Fora de Série, às 13:30

santo-antonio.gif

 

Um Santo António com o Menino Jesus em marfim, do século XVIII e de origem Indo–portuguesa, é uma das mais importantes peças que integram o próximo Leilão do Palácio do Correio Velho.

Composto por 775 lotes, com bases de licitação entre os 10 e os 30 mil euros, o Leilão de Antiguidades, Arte Moderna e Contemporânea, ocorrerá nos dias 22 e 23, às 19h30, e 24, às 15h. Antes disso, as peças estarão em exposição aberta ao público hoje, dia 20, das 15h às 21h, na Calçada do Combro, 38, em Lisboa.

Será um dos mais importantes leilões do ano onde, para além do referido Santo António cuja base de licitação são 15 mil euros, terá outras peças de referência como um grande Pote com tampa, "Soldier Vase" em porcelana e que se apresenta com uma estimativa mínima de 30 mil euros  ou um Contador Indo-português do Séc. XVII, em ébano, sissó e marfim, cuja base de licitação é também de 15 mil euros.  

Já na área da pintura, o catálogo apresenta um conjunto de nomes de grande relevo como Almada Negreiros, Ana Hatherley, Bual, Calvet, Celeste Maia, Eduardo Viana ou Malangatana, entre muitos outros.

Um leilão bastante ecléctico, com peças de arte antigas e raras pinturas contemporâneas. CSB

 

Tags:



Quinta-feira, 16 de Abril de 2015
16.04.2015 - Por Fora de Série, às 13:30

 

Sam-Baron-e-Topázio-HR-(1).gif

 A Topázio foi escolhida pelo designer Sam Baron para criar cinco peças de prata que serão apresentadas na exposição “Handmade”, em Milão, na sequência de um convite que a “Wallpaper Magazine” dirigiu a Baron.

O convite surgiu na sequência da participação do designer francês na colecção comemorativa dos 140 anos da Topázio, momento em que Baron teve oportunidade de conhecer a fábrica, em Gondomar, e a história centenária da marca que serviu famílias reais. E foi precisamente nessa visita que nasceu a inspiração para a colecção, com linhas geométricas, minimalistas, que se conjugam com ornamentos tridimensionais que casam estilos como o Napoleónico, D. João V e ‘Art déco’.

Sam Baron tem no curriculo marcas como Louis Vuitton, Vista Alegre, L'Óreal, Benetton e Dinh Van, e colabora com a Ligne Roset, Christofle, entre outras. E prémios como o “Grand Prix de la Création de la Ville de Paris”, o “Silver Cuve” do New York Art Director Club, e o “Yellow Pencil”, do London Art Director Club. Foi também apontado por Philippe Starck como um dos mais importantes designers desta década. Actualmente é responsável pelo departamento de design da Fabrica, o centro de comunicação e pesquisa da Benetton, em Treviso.

A exposição “Handmade” organizada pela revista britânica Wallpaper estará patente até ao dia 18 de Abril, em The Wallpaper Arcade, via San Gregorio, em Milão. E a entrada é livre. CSB

 




Sexta-feira, 10 de Abril de 2015
10.04.2015 - Por Fora de Série, às 16:25

Sebastião Salgado esteve em Lisboa para inaugurar a sua exposição "Génesis", que vai estar aberta ao público, na Cordoaria Nacional, a partir de hoje até 2 de Agosto.

 

IMG_7643.jpg

Fotografia Paula Nunes 

 

A mais recente obra do consagrado fotógrafo de origem brasileira é o resultado de mais de 30 viagens, entre 2004 e 2011. Durante oito anos visitou alguns dos locais mais recônditos do planeta, alguns deles inóspitos, e viveu temporariamente dentro de comunidades indígenas, sempre à procura da biodiversidade do planeta Terra no seu estado mais puro – das paisagens geladas da Antárctida à tribo índia Zo’é , descoberta há apenas duas décadas, no Brasil. “Houve fotografias mais difíceis de fazer do que outras, porque o acesso às vezes não foi fácil”, conta Salgado, relembrando um desses momentos, em que tiveram de caminhar mais de 1000 quilómetros a pé, durante cerca de dois meses, no Norte da Etiópia. As fotografias a preto e branco (o seu estilo habitual) que compõem "Génesis" são, ao mesmo tempo, uma homenagem ao planeta Terra e um alerta para a necessidade de o preservar.

A exposição foi inaugurada em Abril de 2013, no Natural History Museum, em Londres. Lélia Warnick Salgado, mulher de Salgado, que o acompanha na maioria das viagens e organiza as exposições, explica que esta “foi concebida para ser levada ao mundo”, fazendo agora em Lisboa a sua 25ª paragem. Inaugurado recentemente, o documentário “Sal e Terra”, de Wim Wenders e Juliano Salgado, filho do fotógrafo, vai estar também em exibição na capital a partir desta semana. É a primeira vez que os dois trabalhos são apresentados na mesma cidade ao mesmo tempo. O filme conta a história de vida e obra de Sebastião Salgado, que foi acompanhado pelo filho nas últimas viagens.

 

10-4-7501.JPG

 Fotografia Sebastião Salgado 

 

Salgado é conhecido por trabalhos onde se debruçou, sobretudo, pela realidade do sofrimento humano, tendo sido inclusivamente apelidado de "fotógrafo antropólogo e activista", como o próprio contou quando foi falar à conhecida conferência Ted Talks, em 2013. Esta foi a sua primeira vez a fotografar animais e paisagem e a preparação para o projecto foi de, pelo menos, dois anos. A protecção da natureza no seu estado puro é uma causa que o fotógrafo apoia há algum tempo chegando mesmo a ser responsável por um projecto de reflorestação da Mata Atlântica do Brasil, que resultou na plantação de mais de dois milhões de árvores. Um projecto grande, do ponto de vista individual, mas “pequeno em função da necessidade”, observa Salgado, explicando que, com a tecnologia presente, é possível fazer o mesmo em qualquer lugar que tenha sido alvo de desflorestação.

Esta não é a primeira visita de Sebastião Salgado a Portugal. O fotógrafo já expôs duas vezes em Lisboa, primeiro no CCB, com “Trabalho”, em 1993, e posteriormente no Pavilhão de Portugal, com “Êxodos”, em 2000. A exposição Génesis está instalada no Torreão Nascente da Cordoaria Nacional e pode ser visitada de Domingo a Quinta-feira, das 10h às 19h e de Sexta-feira a Sábado, das 10h às 21h. A entrada tem um custo de cinco euros, sendo que as crianças até cinco anos não pagam. CLMIMG_7781pb.jpg

 Fotografia Paula Nunes 




Quinta-feira, 9 de Abril de 2015
09.04.2015 - Por Fora de Série, às 17:30

 

Uma bicicleta, uma carteira, um par de botas, uma mala de viagem, um baralho de cartas, um relógio de colecção... Aqui, são os objectos cuidadosamente escolhidos da colecção de Emile Hermès, mais à frente, as peças da colecção contemporânea da marca sua homónima. Objectos dispostos ao longo de 11 salas através das quais o tempo pára, avança e recua, sem um rumo definido. Deambula simplesmente, como se tirasse o pleno proveito deste simples prazer sem hora marcada. Porque é precisamente a isto que se chama deambular. Ou ‘flâner’, como dizem os franceses.

 

Hermes_opens_Wanderland_exhibition_at_Saatchi_Gall

 

“La Flânerie” foi precisamente o tema escolhido pela Hermès para dar mote a 2015 e é este espírito ‘flâneur’ que está no âmago da exposição “Wanderland”, uma viagem ao universo Hermès, que abre hoje ao público na Galeria Saatchi, em Londres. Directamente do n.º 24 da rue du Faubourg Saint-Honoré para o Duke Of York's HQ de King's Road, “Wanderland”, representa uma verdadeira instalação concebida por vários artistas e pontuada por múltiplos objectos e peças da ‘Maison’ Hermès. A exposição, que permanecerá em Londres até dia 2 de Maio, viajará depois em Setembro para Paris e, em Dezembro, até Milão. IQ

 

Hermes_opens_Wanderland_exhibition_at_Saatchi_Gall