Sexta-feira, 30 de Outubro de 2015
30.10.2015 - Por Fora de Série, às 13:30

Tyto-Alba-(2).jpg

 

O vinho português Tyto Alba acaba de ser distinguido com uma Medalha de Prata nos Pentawards, os óscares do design de embalagens.

A imagem da garrafa, cujo nome só será decifrável por cientistas da área, refere-se a uma Coruja-das-Torres. Uma ave que habita na propriedade onde o vinho é produzido, a Companhia das Lezírias, e que contribui activamente no equilíbrio do ecossistema das vinhas ao alimentar-se de pequenos mamíferos que as destroem. Quanto à embalagem, apresenta-se como um ninho com uma abertura que permite ver o habitante interior: os olhos da coruja; ou seja, a imagem do rótulo. A caixa é feita de madeira e, no interior, tem palha para aconchegar a garrafa. Depois de consumido o vinho, a caixa pode ser pendurada num jardim e servir de ninho a outras aves.

A responsável pelo design, Rita Rivotti, bisa um prémio no mesmo concurso, já que em 2014 arrecadou uma Medalha de Ouro com o vinho Crochet. “O design tem poder de sedução e pode determinar uma compra ou mesmo influenciar a prova”, explica a especialista de ‘branding’ e design de vinhos. Ou como a filosofia de Rita seduz, dizemos nós. CSB

 

 




Quarta-feira, 28 de Outubro de 2015
28.10.2015 - Por Fora de Série, às 13:30

Imagem-Garagem-Auto-Palace.jpg

 

A Garagem Auto Palace é o local do primeiro evento Eat Out Lisboa, que decorrerá nos dias 30 e 31 de Outubro e 1 de Novembro e reúne ‘chef’s’ consagrados.

Marlene Vieira, Kiko Martins, Paulo Morais, Bertílio Gomes, Chakall, Sushi Café, Ostraria, Mercantina e Prego da Peixaria são alguns dos ‘chef’s’ e restaurantes participantes na primeira edição do Eat Out Lisboa, de 30 de Outubro a 1 de Novembro. Um evento que decorrerá sempre em espaços inesperados - tal como o escolhido para a estreia, a Garagem Auto Palace, junto do Largo do Rato – e que juntará alguns dos melhores ‘chef’s’ e restaurantes da cidade.

Com uma decoração irreverente e música ambiente, o evento terá ainda associadas diversas marcas. Exemplo da Estrella Damm, que estará representada com a Lager original de 1876 a acompanhar as propostas gastronómicas de alguns ‘chef’s’ e a Inedit Damm, desenvolvida em parceria com Ferran Adrià, que abraçará os ‘foodies’ mais exigentes.

O Eat Out terá diversos bares com os vinhos do Esporão, Aveleda, Casa Ermelinda Freitas, Herdade dos Grous e Carm; e o whisky The Famous Grouse, o gin Hendricks e a vodka Stolichnaya. E contará também com um bar, o 7UP Mix, que servirá cocktails originais, de frutas, com ou e sem álcool.  

Com um custo de entrada de 10 euros por pessoa (revertido em consumos, entre as 19h e as 21h), o evento terá os seguintes horários: dia 30, das 19h às 2h; dia 31, das 12h às 2h, e dia 1, das 12h às 24h. Resta dizer que a organização tem prevista a exportação do conceito a outras cidades portuguesas. Mais informações em https://www.facebook.com/eatoutportugal. CSB

 

Imagens-Interior-Auto-Palace-(4).jpg

 

 

 

 




Terça-feira, 27 de Outubro de 2015
27.10.2015 - Por Fora de Série, às 13:30

Bollinger-Spectre-Limited-Edition_PVP-170,00EUR.jp

 

A Bollinger, prestigiada marca de champanhe, acaba de lançar uma edição especial alusiva à participação no novo filme do agente secreto mais famoso do mundo, “007 Spectre”.

Estreia dia 5 de Novembro e é o 14º filme de James Bond em que a marca francesa participa. A Bollinger Spectre Limited Edition inclui uma edição especial de Bollinger Millésime 2009, uma colheita cuja comercialização é inédita. Um champanhe dotado de carácter forte e igual dose de elegância, alusivo à personalidade da personagem. A garrafa vem acomodada numa embalagem que simula o cabo da pistola Walther PPK, a arma secreta do agente, com a gravação do logótipo de 007, e mantém a temperatura do champanhe durante duas horas. Em Portugal estarão disponíveis 120 exemplares e cada garrafa terá um preço de 170 euros.

Há ainda uma edição vocacionada para coleccionadores: a Bollinger Spectre Crystal Set. Uma colheita até agora guardada nas caves do produtor, a Bollinger R.D 1988, apresentada numa garrafa ‘magnum’ e uma cristaleira alusiva a um polvo (The Octopus, neste filme referido como Spectre), assinada por Saint-Louis Crystalworks. Uma edição deveras exclusiva, com apenas 307 garrafas disponíveis para todo o mundo. O preço acompanha a excepcionalidade e deverá atingir os sete mil euros. CSB

 




Sexta-feira, 23 de Outubro de 2015
23.10.2015 - Por Fora de Série, às 13:30

Mercado-de-Vinhos-2014-(3).jpg

 

Arranca hoje a quarta edição do Mercado de Vinhos que até domingo leva ao Campo Pequeno mais de cem pequenos produtores de todas as regiões vinícolas do país. Para os apreciadores, esta é não só uma excelente oportunidade para comprar os seus vinhos preferidos mas também para aprender um pouco sobre os mesmos com os produtores, enólogos e escanções presentes que, anualmente, aqui realizam as suas provas, workshops e outras iniciativas.

Criado com o objectivo de valorizar a produção nacional e divulgar produtos portugueses de qualidade superior a preços competitivos, o Mercado de Vinhos do Campo Pequeno conta com o apoio do programa “Portugal sou Eu” e já não é uma novidade para o público lisboeta. Nesta quarta edição do certame, são esperados mais de dez mil visitantes.

 

Mercado-de-Vinhos-2014-(2).jpg

 

Assim sendo, todas as regiões vinícolas do país irão marcar presença no Campo Pequeno, desde o Minho até ao Algarve, passando pelo Douro, Dão, Bairrada, Lisboa, Ribatejo, Península de Setúbal ou Alentejo, sem esquecer a Madeira e os Açores. E, como um bom vinho exige sempre iguaria à altura, este ano, o Mercado contará também com a presença de 20 dos mais conceituados produtores de queijo – Serra, Serpa, Azeitão, entre outros –, enchidos, presuntos, pães, azeites e outros produtos ‘gourmet’.

 

Mercado-de-Vinhos-2014-(4).jpg

 

Os visitantes terão ainda a oportunidade de participar numa série de ‘workshops’, promovidos pela Associação de Escanções de Portugal – e que obedecem a temáticas tão distintas como: “Conheça os vinhos de outros tempos”, “Combinar comida e vinhos”, “Descobrir a Bairrada e o Dão”, “Serviço de vinhos: Dicas para um serviço de escanção em casa” e ainda “Vinhos das ilhas” –, degustar os vinhos e petiscos ‘gourmet’ servidos na Taberna do Mercado e apreciar a exposição promovida pelo Museu do Saca-Rolhas, inteiramente dedicada a este utensílio indispensável.

O Mercado de Vinhos abre todos os dias às 11h30, encerrando às 21h30, hoje e amanhã e às 20h no domingo. IQ

Tags:



Quinta-feira, 22 de Outubro de 2015
22.10.2015 - Por Fora de Série, às 13:30

Crato.jpg

As Pousadas de Portugal acabam de disponibilizar os ‘vouchers’ Check-in, Premium Check-in, Luxury e Gourmet. Se comprados no mês de Outubro têm um desconto de 10%.

É certo que o Natal ainda vem longe, mas há compras que vale a pena serem feitas mais cedo. Para os interessados em oferecer nesta quadra (ou entretanto), ou usufruir de estadias em castelos e palácios portugueses; ou provar as sugestões gastronómicas da autoria dos ‘chef’s’ do Grupo Pestana, os vouchers, válidos para duas pessoas, podem ser uma boa opção.

Com preços que começam nos 71,91 euros (já com os 10% de desconto) para as estadias e 49,40 euros para o Gourmet (que não tem desconto), podem ser adquiridos através da loja online, www.pestana.com/pt/store, onde é explicado o que inclui cada um deles.

As Pousadas de Portugal – num total de 33 - fazem parte do Grupo Pestana desde 2003, que detém também as marcas Pestana Hotels & Resorts e Pestana Collection Hotels. O grupo está em 16 países, entre Europa, África à América. O Pestana Hotel Group ocupa a 125ª posição do “Top 300 das empresas hoteleiras mundiais”, de acordo com a revista norte-americana "Hotels", e em 26º no ‘ranking’ do European Hotel Survey, da revista "Hotel Management International". CSB

 

Image.jpg

 

 

 

 

 




Quarta-feira, 21 de Outubro de 2015
21.10.2015 - Por Fora de Série, às 13:30

fng1.jpg

 

Este é o lema da 35ª edição do Festival de Gastronomia de Santarém que, a partir de amanhã e até 1 de Novembro é ponto de encontro das artes culinárias, dos seus artistas e dos produtos eleitos de todo o país.

São 11 dias inteiramente dedicados ao que de melhor se come por cá. O certame, organizado pela empresa municipal Viver Santarém e pela Entidade Regional de Turismo Alentejo Ribatejo com o apoio da Câmara Municipal de Santarém, conta uma história que se alonga sem interrupções a 1980 o que faz dele o mais antigo Festival de Gastronomia do país. O encontro está marcado para a Casa do Campino da cidade onde, uma vez mais, as artes culinárias nacionais e os seus produtos serão protagonistas. 

Uma das novidades previstas para este ano é a Praça do Petisco, um conceito que remonta aos primórdios do certame e que se divide por cinco tasquinhas onde serão servidos petiscos de diversas regiões do país. Outra é o restaurante Lucky 13, um espaço temático com serviço por marcação cujo menu estará diariamente a cargo de um chefe. Nomes como Vítor Sobral, Rodrigo Castelo, Hélio Loureiro, João Correia, Carlos Gonçalves ou Igor Martinho são alguns dos que fazem parte da ementa.

Finalmente, o Festival de Gastronomia de Santarém contará ainda este ano com dois seminários temáticos. O primeiro, agendado para dia 26 de Outubro, será dedicado às “Artes da Mesa” - O grande serviço da gastronomia”. O segundo está marcado para dia 29 e versará sobre o tema “New Food Bizz” - Os novos negócios da gastronomia”. IQ

Tags:



Terça-feira, 20 de Outubro de 2015
20.10.2015 - Por Fora de Série, às 13:30

JNS_6775.jpg

 

“Cumplicidades Gastronómicas” é um jantar que vai aliar as criações dos ‘chef’s’ Vítor Matos (acima na foto) e Michel van der Kroft, com a selecção de vinhos de Dirk Niepoort e os chás de Nina Grunkowski.

 É no ANTIQVVM (antigo Solar do Vinho do Porto, na Invicta), no dia 25 de Outubro, que se vai realizar o primeiro de uma série de jantares que tem como anfitrião o ‘chef’ da Casa da Calçada, Vítor Matos - uma estrela Michelin, Certificado de Excelência 2014 pelo TripAdvisor e Melhor Restaurante da Europa, pelo Guia The European 50 Best.com, entre outras distinções. O convidado é o holandês Michel van der Kroft, do restaurante ‘t Nonnetje, em Harderwijk,

A História dos vinhos do Porto e da cidade sentam-se à mesa para o casamento entre a tradição gastronómica portuguesa e a identidade contemporânea de cada autor, em ‘live cooking’. E para que não haja dúvidas sobre a exclusividade da ementa, apresentam-se aqui algumas das propostas: pelas mãos do ‘chef’ Vitor Matos, Lavagante azul da nossa costa glaciado como molho de ostras, yuzo e maracujá, molho de espumante e gengibre (acompanhado por Redoma Rosé 2004 & Chá Dashi); pelo ‘chef’ Michel van der Kroft

Raviolis recheados com queijo de ovelha Serra da Estrela, trompetas da morte, espinafres e manteiga de salva (com um Redoma Branco Reserva 2014  & Chá Dashi); segue-se um Robalo selvagem escalfado com algas, salicórnia, xarém de carabineiro e coentros, molho de mexilhões, pelo ‘chef’ português (VV  Vinhas Velhas Branco 2013 & Chá Dashi); e a sobremesa Tatin de pera Rocha com açafrão e especiarias, gelado de doce de leite, noz Pecan,  mousse de ‘mascarpone’ e pão de pistachos (Niepoort Colheita de 1997), entre outras iguarias.  

O jantar, que está limitado a 40 pessoas, terá início às 19h30 com um ‘welcome drink’ e junta os dois conceituados ‘chef’s’ com o enólogo da Niepoort e a produtora de chás Camélia. O preço por pessoa é de 100 euros e é necessária a reserva antecipada através do tel. 226 000 445 ou do email antiqvvm@gmail.com. CSB

 

 

 

 




Segunda-feira, 19 de Outubro de 2015
19.10.2015 - Por Fora de Série, às 13:30

_DSC6612.jpg

 

Inaugura hoje um novo hotel de charme em Lisboa, o Palácio do Governador. Situado em Belém, foi a residência dos responsáveis pela Torre de Belém e assenta em antigas ruinas romanas.   

Cinco milhões e meio depois de o Grupo NAU Hotels & Resorts ter pegado no edifício quinhentista, abre o hotel de charme com 60 quartos personalizados, spa com 1.200 m2, piscina ao ar livre, restaurante com cozinha de autor e outros pormenores que não o são. Já que são esses mesmos detalhes que ditam a união entre o passado histórico e o presente contemporâneo e luxuoso deste novo hotel de Lisboa, o Palácio do Governador.

Foi morada dos Governadores da Torre de Belém desde o século XVI. Mas é necessário recuar um pouco mais: a actividade comercial neste local começou muito antes, nos séculos I a V, altura em que terá sido usado pelos romanos como fábrica de molho de peixe romana. As ruinas estão lá e serviram de mote: “redescobrir o requinte e o fausto da gloriosa época dos Descobrimentos, aliando o conforto e elementos de contemporaneidade”. Ao projecto de arquitectura a cargo da dupla Jorge Cruz Pinto e Maria Cristina Mantas foi aliada a decoração e design de interiores projectados por Nini Andrade Silva. 

Detalhes como as tinas de pedra, conhecidas como “cetárias” - da antiga fábrica romana de molho de peixe “garum”, exportado em ânforas para todo o mundo Romano – recebem que entra no pátio de entrada do Palácio do Governador. A recepção e ‘lobby’ situam-se na antiga capela, cujas paredes exibem os azulejos originais restaurados, o coro de madeira e o duplo pé direito.

Mas a história dos Descobrimentos revela-se nos cinco pisos. Quer nos tectos em abóboda do restaurante e em alguns quartos, quer nos arcos espalhados por vários espaços; ou nos lambris de azulejos originais, quer nos elementos decorativos inspirados na porcelana Companhia das Índias. E as dos Romanos também, hotel a dentro, com as ruinas a exibirem-se na piscina interior e noutros locais. O spa com uma decoração contemporânea entrelaça-se nas antigas tradições termais das culturas mediterrânicas e dispõe de uma piscina interior aquecida, com 25 metros, jactos dinâmicos e cromoterapia; sauna; banho turco; três salas de massagens e tratamentos e ginásio. O exterior oferece mais duas piscinas, uma para adultos e outra para crianças, jardim com lago e um terraço com esplanada com vista para a Torre de Belém e para o rio Tejo. 

O restaurante Ânfora é outro porta-estandarte do hotel. Ao leme está o ‘chef’ André Lança Cordeiro, que passou pelos parisienses Relais Louis XIII, Lapérouse e Au Comte de Gascogne, onde conviveu com congéneres estrelas Michelin, e recentemente na Clinique La Prairie, em Montreux.

As salas para eventos e o parque privativo com 130 lugares rematam a oferta deste hotel que é um exemplar único do casamento entre Hotelaria e História de Portugal. CSB

 

corredor.jpg

 

 




Quinta-feira, 15 de Outubro de 2015
15.10.2015 - Por Fora de Série, às 13:30

Terracota-12.jpg

 

Diz o ditado que se Maomé não vai à Montanha, vem a Montanha a Maomé. É o que sucede: não vamos à China, vêm os Terracotta Army, Guerreiros de Xian a Portugal.

A Alfândega do Porto acolhe uma mostra com mais de 150 réplicas rigorosas dos emblemáticos guerreiros - em dimensões e materiais utilizados e construídas em Xian -, aberta ao público até 11 de Janeiro. A exposição está pela primeira vez em Portugal, depois de ter recebido 850 mil visitantes em Londres, no British Museum, onde alcançou o título de “Exposição com o maior sucesso” daquele espaço museológico. 

Património Mundial da UNESCO desde 1987, os Terracotta Army são uma das maiores descobertas arqueológicas de sempre e foram encontrados na China em 1974. Jaziam numa espécie de vala com 51,3 metros de altura e uma extensão superior a 56 km, na zona Norte de Xian, que foi mandada construir pelo imperador Qin Shi Huang, unificador do império do meio, para ser a sua sepultura há mais de 2.200 anos. Uma obra que empregou mais de 700 mil operários chamados de todas as regiões da China e que resultou no abrigo de milhares de figuras de soldados cavalos e armas em tamanho natural.

Em torno da escavação há um ‘dinorama full color’ do fosso original para dar uma dimensão real das dimensões e a exposição é acompanhada por pormenores interactivos que leva os visitantes numa viagem no tempo. Há ainda uma sala onde é possível assistir a um filme que narra a história do descobrimento do Exército de Terracotta em Março de 1974 por agricultores. Para as crianças há ainda ateliers de arqueologia, barro e pintura, e de caligrafia chinesa que visam dar a conhecer um pouco da cultura chinesa partindo destas esculturas emblemáticas.

A exposição está patente no Centro de Congressos do Porto, no Edifício da Alfândega, no Porto, no seguinte horário: de segunda a sexta, das 10h às 18h, e sábados, domingos e feriados, das 10h às 20h. As entradas têm um custo de nove euros; as crianças dos três aos onze pagam seis euros; e há um bilhete Família (inclui dois adultos e um máximo de três crianças até aos onze anos) por um preço de 25 euros. CSB

 




Quarta-feira, 14 de Outubro de 2015
14.10.2015 - Por Fora de Série, às 13:30

1.jpg

 

Quando o universo árabe chega às ruas portuguesas, a isso chama-se Arabian Days. O ‘souk’ vai estar em Alcântara, de 29 de Outubro e 1 de Novembro - inicialmente marcado para 15 a 18 de Outubro, o evento foi adiado por serem esperadas condições meteorológicas adversas nesta data.

No Largo da Ermida da Capela de Santo Amaro, Alcântara, o ambiente vai ser o de um ‘souk’ árabe com diversas “tendas”: a da gastronomia típica, com o chá de menta e a shisha (cachimbos de água com infusões), e a do artesanato árabe - entre velas, perfumes, bijuteria, tapetes, mobiliário e candeeiros. Mas haverá também espectáculos de dança do ventre, cuspidores de fogo e um encantador de serpentes e a possibilidade de passear de burro, fazer leitura de mãos, tarot e tatuagens de ‘henna’.

Este evento tem ainda uma componente solidária: um euro de cada bilhete reverterá para a Cruz Vermelha Portuguesa, a favor dos refugiados. A entrada no recinto tem um custo de cinco euros por pessoa (é gratuito para crianças até aos seis anos), ou a opção Bilhete Família (dois adultos e dois jovens até aos 16 anos) por 15 euros. Há ainda um passe para os quatro dias que custa 15 euros por pessoa. Os bilhetes estão à venda no local e dias do evento e nas habituais bilheteiras (Fnac, El Corte Inglés, Blueticket, Worten, etc.). O Arabian Days decorrerá nos seguintes horários: dia 15, das 18h às 23h; dia 16, das 18h às 24h; dia 17, das 13h às 24h, e dia 18, das 13h às 22h.

Esta não é uma estreia do evento em Portugal - em 2013 decorreu em Faro e o ano passado, em Sintra -, mas é a primeira vez que o ‘souk’ monta a tenda em Lisboa. CSB

 

2.jpg

 

 

 

 

 




Terça-feira, 13 de Outubro de 2015
13.10.2015 - Por Fora de Série, às 13:30

press_6.jpg

 

 

Chama-se Laranja do Algarve - The Best Orange Juice e vende sumo espremido no momento. Para enfrentar o frio haverá vinho quente com laranja e especiarias, bolos e salgados com esta fruta.

É uma espécie de quiosque e está estacionado junto à Torre de Belém. A Piaggio APE 50 transformada neste projecto chegou a Lisboa em Agosto de 2015. As laranjas são compradas directamente aos produtores e entre a colheita e o consumo não decorre mais de uma semana. A ideia teve-a Rui Jorge, economista e jornalista: oferecer aos turistas um produto português, fresco e de qualidade, cuja história se cruza com a nossa própria História dos Descobrimentos - está atribuída aos mercadores portugueses a introdução da laranja doce na Europa e na América do Sul, trazida da China no século XVI. “Apesar de em Portugal não serem valorizadas como tal, as laranjas do Algarve, mais concretamente da região de Silves, são das melhores do mundo”, defende Rui Jorge.

Para que não restem dúvidas sobre a “legitimidade da nossa laranja”, os visitantes recebem um folheto com a história desta fruta e com curiosidades como o nome, “portuguesa”, dado em alguns países onde foi introduzida pelos portugueses. Como, por exemplo, “portokal”, na Bulgária, ou “portokali”, na Grécia.

Faça chuva e o negócio adapta-se. Se até agora foi o sumo fresco e o cocktail “Porto Laranja do Algarve” que reinaram, com as temperaturas a baixarem novas ofertas surgirão. Um vinho quente com laranja e especiarias, feito de acordo com receitas tradicionais alemãs e austríacas, e alguns bolos e salgados com laranja (já servidos em eventos onde a Laranja do Algarve - The Best Orange Juice participou). O sumo fresco mantém-se até porque esta é a época alta da laranja do Algarve. 

Ou faça sol…quando bater à porta a época baixa da laranja, o fornecimento estará garantido através de vários produtores algarvios - como aconteceu nos meses de lançamento do projecto. “Estamos confiantes que conseguiremos vendê-la no Verão, fresca (e não congelada, como fazem os maiores distribuidores), graças à diversificação de variedades cultivadas no Algarve e à gestão que os nossos produtores fazem do tempo de permanência do fruto na árvore”, explicou Rui Jorge.

Até agora, 90% dos clientes têm sido estrangeiros - pouco mais de metade, franceses e italianos. Mas também têm apreciadores do Brasil, Hong Kong, Austrália, Estados Unidos e mesmo do Equador. “São vários os clientes que nos garantiram que nunca beberam um sumo tão bom quanto o nosso”, contou Rui Jorge. E até o cocktail de Porto Branco com Laranja, uma novidade em Setembro, se afirmou como um sucesso. Vinho do Porto que é oriundo da Quinta de Santa Eufémia, um pequeno produtor que, de acordo com a filosofia da empresa, é a base deste negócio. CSB

FLYER-PORTUGUESE-(1).jpg

 

 




Sexta-feira, 9 de Outubro de 2015
09.10.2015 - Por Fora de Série, às 13:30

Grand-(24b)_Herald-Bar.jpg

 

Sextas-feiras são sinónimo de música Jazz e Bossa Nova. As Fridays Jazz Nights acontecem no Altis Grand Hotel, em Lisboa, e significam música ao vivo. Ru Vasconcelos, Diogo Santos e Célia Ramos são as vozes que, acompanhadas por acordes de guitarra, dão música todas as sextas-feiras. Até 18 de Dezembro. As Fridays Jazz Nights começam às 19h30 no Bar Herald e, a partir das 20h30, no Restaurante Grill D. Fernando.

No primeiro é possível degustar refeições ligeiras, como Escalope de ‘foie gras’ sobre tosta de brioche e pimenta preta; Presunto Ibérico, manteiga de ovelha, salada de beldroegas; Desfiado de sapateira, ‘pickles’ caseiros e maionese de salsa; ou a sugestão vegetariana, Prego de soja, compota amarga de cebola. Há ainda ‘verrines’ (saladas em versão tapa), de que são exemplos: Verrine de salada César, de tártaro de salmão ou de saladinha de polvo, entre outras. Os gelados artesanais são uma boa opção para rematar a refeição ligeira e, para acompanhar tudo, um dos inúmeros ‘cocktails’.

Já no restaurante, onde a ementa se apresenta mais elaborada, há os pratos clássicos e novidades como Salmão fumado, Salada de citrinos e rebentos; Vieiras coradas com puré de couve-flor, como sugestões de entrada. Para pratos principais e ainda no campo das inovações: Bacalhau de meia cura com grelos, puré de grão e ovo de codorniz; Camarão tigre na grelha com arroz basmati, manga e molho agridoce; Lombinho de porco ibérico com xerém de amêijoas; Naco da vazia maturada 21 dias, esparregado de nabiças e batata, e Perna de cabrito a baixa temperatura, grelos, batata à padeiro e cebolas caramelizadas. Ou duas opções vegetarianas e diversas sobremesas, como uns crepes Suzette, confeccionados à frente dos comensais.

O Altis Grand Hotel fica situado na Rua Castilho, número 11, e foi fundado em 1973 por Fernando Martins. Faz parte de um grupo de seis unidades, todas em Lisboa, que mantém a filosofia empresarial assente em valores familiares; entre o luxo, o design, o charme e a localização priveligiada. CSB

 

 




Quinta-feira, 8 de Outubro de 2015
08.10.2015 - Por Fora de Série, às 13:30

 

moda-lx.jpg

 

De 9 a 11 de Outubro a moda portuguesa regressa sob o mote “The Timers”. É mais uma edição da Moda Lisboa e apresenta as novidades para a próxima Primavera/Verão 2016.

Para além dos 22 desfiles - que contam com as colecções dos principais criadores portugueses, como Nuno Gama, Miguel Vieira, Alexandra Moura e Dino Alves, e dos designers emergentes designados por Sangue Novo -, a 45ª edição apresenta novidades. A principal é um concurso onde será apurada a melhor colecção do Sangue Novo. Um Júri determinará quem é o vencedor, que será contemplado com um ‘workshop’ de moda em Milão e uma bolsa de estudo.  

Mas se para os desfiles é necessário convite, outras iniciativas decorrerão onde a entrada é livre. É o caso das Fast Talk, que começam hoje, quinta-feira dia 9, às 18h, no Salão Nobre dos Paços do Conselho, e que consistem em debates de reflexão sobre a moda. Moderado pela artista Joana Barrios, terão a participação de António Moura (diretor de Marketing da Eleuterio Jewels), Kam Dhillon (editor da Not Just a Label), Pedro Caride (CEO da Por Vocação), Petra Bruno (CEO do BUG Group- Brandstorytellers) e Sara Desimoni (diretora do curso de Design de Moda da Domus Academy).

Outro espaço de acesso livre é a ‘pop-up store’ Wonder Room, com a presença de 22 marcas nacionais novas. E a abertura ocorrerá no dia 9, sexta, às 15h, no espaço do BPI, também na Praça do Município.

O momento alto da Moda Lisboa, os desfiles, terão lugar, como já vem sendo hábito, no Pátio da Galé, na Praça do Município e começam na sexta-feira, às 18h, com o Sangue Novo e terminam no domingo às 22h. CSB

 





Quarta-feira, 7 de Outubro de 2015
07.10.2015 - Por Fora de Série, às 13:30

1---BMW.jpg

 

 

O evento "200 Clássicos na Avenida da Liberdade" vai juntar em Lisboa a maior exposição de automóveis antigos. É no dia 11 de Outubro.

O CAACA – Clube de Automóveis Antigos da Costa Azul em conjunto com a União de Associações de Comércio e Serviços, que tutela este evento inserido nas comemorações dos seus 145 anos, vai realizar um desfile de duas centenas de clássicos, alguns dos quais verdadeiras relíquias. É o caso de um Ford T de 1910 e outro de 1915 - os dois veículos mais antigos da exposição - e de um Cadillac e um Packard, de 1954, que pertenceram à Presidência da República. Outros automóveis dignos de nota são um Alldays and Onions (1911), um Fiat de 1922, um Chevrolet de 1925, um Hupmobile (1928), um Buick (1929), um Packard (1938), um Rolls Royce de 1938, um Bentley de 1950 e um Cadillac de 1954.

O evento começa com a concentração dos carros antigos no Palácio da Justiça e partirá rumo à Avenida da Liberdade, com percurso pela Rua Marquês de Fronteira, Avenida António Augusto de Aguiar, Avenida Fontes Pereira de Melo e Marquês de Pombal. Os automóveis permanecerão em exposição na Avenida às 17h, hora a que terá início um desfile de encerramento até ao Rossio e de volta ao Marquês de Pombal.

De acordo com a organização, o desfile possibilitará o verdadeiro sentido de “Passeio na Avenida” – que poderá ser percorrida calmamente, com paragens para ver lojas, conversar ou descansar - com o acréscimo de levar a todos os passeantes algumas relíquias automóveis do passado. CSB

 

 

 




Terça-feira, 6 de Outubro de 2015
06.10.2015 - Por Fora de Série, às 15:24

IMG_8790_bx.jpg

 

Da parceria entre a Mercantina e a Venâncio da Costa Lima nasceram dois vinhos que casam bem com os pratos servidos no restaurante. O vinho tinto e o branco, com a insígnia da Mercantina, são uma criação do enólogo Fausto Lourenço, naquela que é uma das mais antigas adegas da região de Palmela.

O Mercantina Tinto é composto pelas castas Castelão e Aragonez e, depois de um estágio em madeira, apresenta-se numa cor granada intensa, com aroma a frutos vermelhos, sabor equilibrado e encorpado e final elegante. Aconselhado para acompanhar pratos de carne, molhos de tomate, queijos, enchidos, ‘carpaccios’, ‘crostinis’, ‘focaccias’, ‘bruschettas’, pizzas e massas.

Já o Mercantina Branco resulta da junção da casta Fernão Pires com os aromas do Moscatel de Setúbal (30%). De cor amarelo cítrico, tem um aroma intenso com notas de frutos tropicais, sabor equilibrado e fresco e final de prova prolongado. É um vinho indicado para pratos de peixe e carnes brancas, como a Saltimboca de frango, salada Caesar ou Caprese e mariscos.

A Mercantina tem as pizzas em forno de lenha como porta-estandarte já que é o segundo restaurante em Portugal a ostentar a certificação da Associazione Verace Pizza Napoletana - entidade que distingue as melhores pizzas napolitanas a nível mundial. E está situada no bairro de Alvalade, desde 2013, e este ano abriu também no Chiado, na Rua da Misericórdia.

Quanto à Venâncio da Costa Lima, começou a produzir em 1914, vinhos de mesa certificados (Regional Península de Setúbal e DO Palmela) e Moscatel de Setúbal. E foi com o Moscatel que a marca foi reconhecida com uma medalha de Ouro (Top 10) no concurso Muscats du Monde 2011, Medalha de Ouro no mesmo evento em 2009 e inúmeros outros prémios nacionais e internacionais. CSB

Tags: