Quinta-feira, 31 de Março de 2011
31.03.2011 - Por Fora de Série, às 17:51

 

O preto e o branco continuam lá. O rosa também, só que deixou de ser um apontamento para passar a ser nota dominante e o cinzento metalizado é uma estreia. As três novas garrafas Coca-Cola Light com ‘design’ de Karl Lagerfeld, uma edição limitada, assumem personalidades e nomes diferentes.

Bernadette, com o seu vestido branco e cinza é uma romântica moderna, Eleanor, em branco e ‘fuschia’, uma ‘fashion victim’ e Irene, em tons de branco e preto, assume um estilo ‘rock’ chique, mais teatral. As três garrafas, que podem ser adquiridas individualmente ou em conjunto, estão ainda numeradas (1, 2, 3) o que as torna objectos de colecção.

Além do ‘design’ das três novas garrafas, Lagerfeld foi ainda o fotógrafo da campanha publicitária onde as modelos Coco Rocha, Heidi Mount e Jeneil Williams dão vida às três personagens imaginadas pelo criador da Chanel. IQ

 

Saiba mais detalhes




31.03.2011 - Por Fora de Série, às 11:07

 

Começa hoje a quinta edição do Lisboa Restaurant Week: nove dias de puro prazer gastronómico e a preço de saldo. Ou seja, se gosta de cozinha de autor e ir a restaurantes de luxo com 'chefs' conhecidos onde habitualmente come bem, mas também paga bem, esta é a sua deixa. Até 9 de Abril, restaurantes como o Eleven, Mezzaluna, Quinta dos Frades, Gemelli, Faz Figura, Terreiro do Paço, Panorama e muitos outros vão abrir as portas a 20 euros por refeição (sem bebidas). Por cada refeição, um euro vai ser doado a uma instituição de solidariedade social, como a Caritas ou a Mulheres de Vermelho. À semelhança do que aconteceu no ano passado, e se tudo correr como o previsto, deverão ser angariados mais de 1,6 milhões de euros em 53 restaurantes espalhados pela capital. 

A ideia surgiu há mais de 15 anos em Nova Iorque, com o objectivo de chamar mais clientes para os restaurantes de luxo durante a 'slow season'. Na primeira edição participaram 90 restaurantes. Actualmente são já milhares de espaços aderentes, em mais de 100 cidades por todo o mundo.

Veja os restaurantes aderentes aquiRSG

Tags:



Quarta-feira, 30 de Março de 2011
30.03.2011 - Por Fora de Série, às 16:31

 

Os responsáveis do Château de Versailles acabam de lançar uma proposta de mecenato curiosa. Com o intuito de replantarem a zona da Étoile Royale, peça central dos jardins criados por André Le Nôtre que se encontra profundamente danificada depois de um temporal ocorrido em 1999, lembraram-se de oferecer, a todos os que se quiserem associar, a possibilidade de “adoptarem” tílias.

O custo é de mil euros por árvore. Todos os participantes recebem um certificado de adopção e um benefício fiscal de 66%, para os individuais e 60% para as empresas. Entre estas, a Moët Hennessy, do grupo LVMH, anunciou já a sua intenção de colaborar no projecto de replantação das tílias de Versailles.

Não é a primeira vez que os responsáveis da residência oficial dos reis de França recorrem a este processo para levar a cabo projectos de reabilitação. Em 2005, já tinham lançado uma proposta semelhante para poderem restaurar as estátuas e os bancos dos jardins. Um recurso que, a aplicar em Portugal, poderia fazer muito por alguns dos nossos jardins públicos. IQ

Tags:



30.03.2011 - Por Fora de Série, às 13:00

A Longchamp inaugurou hoje a segunda maior loja do mundo em Hong Kong. Com 400 metros quadrados e situada num dos bairros mais luxuosos da cidade, a nova loja é a 17ª da marca na China, pelo menos por enquanto, porque a marca fundada por Jean Cassegrain anunciou já a sua intenção de multiplicar por cinco o seu número de lojas neste país, para tirar partido da crescente apetência pelas marcas de luxo que aí se faz sentir.

O grupo, que registou um volume de negócios de 321 milhões de euros em 2010, atribui os seus bons resultados a um crescimento de 31% do seu volume de vendas nos mercados não europeus. O ‘best-seller’ da marca é, até agora, a carteira “Pliage”, cujas vendas ultrapassam anualmente os dois milhões de exemplares desde o seu lançamento, em 1993. IQ




30.03.2011 - Por Fora de Série, às 12:57

 

 

 

 

 Já várias marcas tinham demonstrado solidariedade pelas vítimas do tsunami no Japão. A Hackett junta-se também a esta causa e da forma que melhor sabe, com o lançamento do pólo “Hope”, de edição limitada, cujos lucros serão doados à “Japan Society Tohoku Earthquake Relief Fund”. No pólo foram bordados o desenho da tradicional flor de cerejeira, símbolo de amor e afecto, e a palavra “esperança” em inglês e em caracteres japoneses. Esta iniciativa estende-se também às montras das lojas que, para promover o pólo “Hope”, estão decoradas com a frase “Hackett apoia o Japão”.

A Hackett abriu a primeira loja no Japão há dois anos e o estilo ‘british’ foi bem recebido pelos japoneses. Agora é a vez de a marca retribuir com este pólo, 100% algodão, disponível em azul-escuro e branco, que estará à venda a partir do final de Abril nas lojas de todo mundo e online. São 60 euros por uma boa causa. AFA

 

 

Tags:



30.03.2011 - Por Fora de Série, às 11:52

 

A Rolls Royce abriu mais uma loja no Médio Oriente. Desta vez escolheu Umm Al Nar, perto de Abu Dhabi nos Emirados Árabes Unidos, para abrir o maior espaço da marca no mundo. A nova loja tem 900 metros quadrados, espaço suficiente para manter cinco Rolls Royce em exposição, um cantinho para cafetaria e ainda um sítio para os clientes personalizarem os carros com todos os extras a que têm direito. De acordo com Müller-Ötvös, CEO da marca que inaugurou o novo stand, o Médio Oriente é um dos mais importantes parceiros da marca no mundo. "No ano passado a região contribuiu com 15% das vendas globais da Rolls Royce", disse o empresário.

O evento também foi marcado pelo centenário do logotipo, Spirit of Ecstasy. Para festejar a data, a marca vai lançar uma série especial do Phantom Drophead Coupé, a Spirit of Ecstasy Centenary Collection, estando um destes carros já exposto na nova loja dos Emirados Árabes Unidos. Estas novas "máquinas" têm pormenores unicos como uma luz na base do logotipo situado no capô do carro. Ao todo, a Rolls Royce tem 82 lojas, das quais oito estão no Médio Oriente. RSG

Tags:



Terça-feira, 29 de Março de 2011
29.03.2011 - Por Fora de Série, às 18:38

 

Foi o acontecimento da semana. O arquitecto português, Eduardo Souto de Moura, foi distinguido com o prémio Pritzker, atribuído pela Hyatt Foundation e considerado o prémio Nobel da Arquitectura. A notícia causou algum burburinho porque, supostamente, o anúncio oficial do prémio estava previsto apenas para 11 de Abril, acabando por ser antecipado devido a uma fuga de informação no site de arquitectura scalae.net.

É a segunda vez que um arquitecto português recebe este prestigiado galardão. O primeiro foi, em 1992, Álvaro Siza Vieira, de quem Souto de Moura foi discípulo. Em comunicado, o júri do prémio, que destacou o Estádio Municipal Braga, entre as obras realizadas por Souto de Moura, e elogiou ao arquitecto a sua capacidade única de conciliar opostos como “o poder e a modéstia, a coragem e a subtileza”.

De acordo com José Fernando Gonçalves, presidente do conselho directivo regional Norte da Ordem dos Arquitectos, a atribuição deste prémio, que deverá ser entregue a Souto de Moura em Junho, “é o justo reconhecimento de um trabalho que [este] vem a desenvolver há anos com enorme coerência, determinação e sensibilidade” e também “uma honra para a arquitectura portuguesa”. IQ




29.03.2011 - Por Fora de Série, às 18:05

 

A mulher mais influente do mundo da moda já não se satisfaz com o lugar mais VIP da 'frontrow' das Fashion Weeks. Anna Wintour já não especial prazer em destruir criadores, amaldiçoar colecções, elevar marcas ao Olimpo da moda. Wintour quer mais poder. Pelo menos a avaliar pelo que a editora da Vogue americana diz ao Wall Street Journal: "Com todos os novos 'outlets' de novos media que aí andam, uma voz de calma e autoridade como a da Vogue torna-se mais importante que nunca. Quantos mais olhos observarem a moda, quanto mais opiniões sobre a moda existirem, quanto maior for a exploração da moda pelo mundo fora, melhor é para a Vogue. A Vogue é como a Nike ou a Coca-Cola, esta enorme marca global. E eu quero melhorá-la, quero protegê-la, e quero tomar parte nas conversações".

Não sabemos se a ideia é conseguir que o Presidente Obama - que ela opoia incansavelmente - lhe crie um Ministério da Moda, mas, tanto quanto sabemos - e conta também o WSJ na edição de Abril da sua revista -, há muito tempo que Anna Wintour toma parte em todas as conversações. Amiga dos grandes poderosos - os patrões dos grandes grupos de luxo, políticos, estrelas de Hollywood, realizadores e criadores de moda -, Anna pode orgulhar-se de ter um dedo metido em grande parte dos negócios feitos desde que se estreou no cargo que ainda ocupa à frente da Vogue, em 1988. Por exemplo, ela ajudou a construir o sucesso do filme "Moulin Rouge", de Baz Luhrman, ao fotografar Nicole Kidman para a capa da revista no momento certo. Foi em conversa com o 'mayor' de Nova Iorque, Michael Bloomberg, que Wintour conseguiu, em 2009, a sua Vogue Fashion's Night Out, inspirada nas 'nuits blanches' de Paris. Fez toda a Itália tremer no ano passado, quando anunciou que só passaria em Milão quatro dos sete dias de desfiles. Foi ela que apresentou John Galliano a Bernard Arnault, que se apressou a contratá-lo, primeiro para a Givenchy, só depois para a menina dos seus olhos, a Dior... Como conclui R. J. Cutler, que realizou o filme "September Issue": "pode-se fazer um filme em Hollywood sem o aval de Steven Spielberg, pode-se lançar um novo 'software' em Silicon Valley sem que Bill Gates o apadrinhe, mas é claro que não se pode vingar na indústria da moda sem a benção de Anna Wintour". Esta mulher vale muito mais do que o seu peso em influência económica. Se se tornar secretária de estado, o mundo não vai estranhar. Até porque tem exército para isso. RIN 




29.03.2011 - Por Fora de Série, às 17:40

 

O grupo Prada viu os seus resultados disparar em 2010, particularmente graças ao mercado asiático. Segundo um comunicado divulgado segunda-feira, o resultado líquido do grupo italiano registou um crescimento de 150,4% face ao ano anterior, cifrando-se nos 250,8 milhões de euros e o EBITDA uma progressão de 84,7% para os 535,9 milhões. Quanto ao volume de negócios, o crescimento foi de 31,1%, para 2,05 mil milhões de euros.

O grupo, que anunciou ter aberto 59 lojas o ano passado, ficou a dever estes resultados principalmente a um aumento de 63% das vendas na região da Ásia Pacífico, que constitui hoje o seu principal mercado. Aliás, foi precisamente a importância que esta região tem actualmente para as grandes marcas de luxo mundiais que levou a Prada a anunciar recentemente a sua entrada na Bolsa de Hong Kong já no próximo Verão. IQ




29.03.2011 - Por Fora de Série, às 16:47

 

Não passa de um rumor, mas se partirmos do bom velho princípio de que onde há fumo há fogo... A notícia é hoje aflorada tanto pelo “L’Express” como pelo “Le Figaro” online. Depois da LVMH ter assumido o controlo do capital do joalheiro italiano Bulgari, poderá estar agora interessada na marca britânica Burberry. Segundo analistas, além de gozar de boa saúde financeira, a Burberry é o único grupo de luxo que ainda não é controlado por uma família. Pelo sim pelo não, refere o “Le Figaro”, o Exane BNP Pariba colocou este grupo na sua lista de valores favoritos, o que fez com que a acção da Burberry subisse 2,8%, para os 11,47 pence. IQ




29.03.2011 - Por Fora de Série, às 13:01

 

As Fondaziones Musei Civici di Venezia e Prada acabam de assinar um protocolo para recuperar aquele que é considerado um dos exemplos mais perfeitos da arquitectura barroca veneziana, o Palazzo Corner della Regina.

O projecto de recuperação do edifício do século XVIII, que prevê uma intervenção profunda, decorrerá por um período de seis anos após o qual a gestão do edifício passará a ser da competência da Fundação presidida por Miuccia Prada e Patrizio Bertelli. A ideia é, claro está, criar mais um espaço dedicado à expressão artística contemporânea.IQ




Segunda-feira, 28 de Março de 2011
28.03.2011 - Por Fora de Série, às 18:30

 

 

Um retrato da actriz Elizabeth Taylor feito por Andy Warhol vai submeter-se ao martelo, em Nova Iorque, num leilão de arte contemporânea a ter lugar a 12 de Maio. “Liz #5” (1963), que pertence ao gestor de hedge funds Steven Cohen, mostra a actriz a sorrir, com as pálpebras cobertas de sombra azul, e vai ser vendido pela Phillips de Pury. Warhol pintou esta série de quadros de Elizabeth Taylor em 1963, o ano em que a actriz saltou para o top das actrizes melhor pagas de Hollywood, ao receber um milhão de dólares pelo seu papel no filme “Cleópatra”. Espera-se que o quadro atinja o preço de 30 milhões de dólares – sendo que este não é o valor mais elevado alguma vez oferecido por uma obra de Warhol. O 'record' aconteceu há quatro anos, quando a Christie’s conseguiu pelo quadro “Green Car Crash”, também de 1963, a módica quantia de 71,7 milhões de dólares. RIN




28.03.2011 - Por Fora de Série, às 16:58

 

Bora Bora ou Nova Zelândia? África do Sul ou Índia? Ilhas Maurícias ou Seychelles? Quase que dá para escolher ao calhas. Fechar os olhos e deixar que o indicador poise, como lhe apetecer, num qualquer destes destinos. Depois é só fazer a mala e partir, confiante de que tudo irá correr da melhor maneira possível. Tão simples quanto isto.

Simples porque a conceituada associação de hotéis de charme e restaurantes ‘gourmet’ Relais & Châteaux acaba de fazer uma parceria com a não menos conceituada agência de viagens Voyageurs du Monde com o objectivo de criar viagens à medida. Chamaram ao projecto “Voyages à la carte” e oferecem, logo à partida, mais de 30 destinos com o carimbo das duas marcas. É que nem vale a pena perder tempo a escolher. IQ

Tags:



28.03.2011 - Por Fora de Série, às 13:43

 

Já falta pouco para a Cordoaria Nacional ser invadida por antiguidades na IX Bienal de Antiguidades. A decorrer entre 8 e 17 de Abril, a mostra conta, pela primeira vez, com um expositor internacional, a Mayoral Galeria d’Art, de Barcelona. Esta que é uma das mais conceituadas galerias de pintura espanhola do Século XX, é vista como uma referência na arte contemporânea e é tida como uma das mais destacadas galerias da Europa, vai trazer ao recinto da bienal quadros de Picasso, Miró e Barceló. Este ano, a Bienal de Lisboa espera receber mais de 15 mil visitantes, nacionais e estrangeiros. RIN




Sexta-feira, 25 de Março de 2011
25.03.2011 - Por Fora de Série, às 22:08

 

A criadora de moda espanhola Agatha Ruiz de La Prada celebra hoje, precisamente, três décadas de coloridos êxitos nas 'passerelles'. São já mais de 500 desfiles, 50 licenciamentos de produtos com o seu nome, e mais de três milhões de corações. Por isso hoje, dia 25, foi constituída a Fundação Agatha Ruiz de la Prada, "um projecto muito prático, pequeno e que se fez pouco a pouco, sem pretenções", disse a designer à "Yo Dona", revista do "El Mundo". A primeira tarefa da fundação é compilar e organizar todo o material documental acumulado pela marca ao logo destes 30 anos. E o objectivo final, "procurar e encontrar tudo o que a marca fez, que se aproxima do infinito", explica Marta Ruiz de la Prada, directora da Fundação. RIN  

Tags: