Segunda-feira, 28 de Fevereiro de 2011
28.02.2011 - Por Fora de Série, às 18:27

 

Foi talvez um dos acontecimentos mais badalados do ano em Londres. Heston Blumenthal, o mesmo Blumenthal do famoso The Fat Duck, em Bray, decidiu explorar outros horizontes e abriu o seu primeiro restaurante na capital britânica. A nova catedral gastronómica chama-se Dinner by Heston Blumenthal, fica no Mandarin Oriental Hyde Park, um dos mais emblemáticos hotéis londrinos, e inaugurou no início de Fevereiro. Inaugurou, mas já está a dar que falar há mais de um bom par de meses. É que o principal objectivo do Dinner é explorar a herança gastronómica britânica e, neste campo, Heston Blumenthal promete surpresas. Quanto aos europeus continentais que ainda acreditam que naquelas ilhas não se come nada de jeito, experimentem tentar marcar uma mesa para jantar através do site http://www.dinnerbyheston.com/... Aconselhamos pelo menos oito semanas de antecedência. IQ

Tags:



28.02.2011 - Por Fora de Série, às 17:25

 

Criatividade foi o que nunca faltou aos ‘designs’ de Alexander McQueen. O estilista que se suicidou, há um ano, em Londres, deixou saudades e um 'portfólio' recheado de fantásticos vestidos que podem agora ser vistos, ou revistos, numa exposição do Metropolitan Museum of Art, em Nova Iorque. O espólio, "Alexander McQueen: Savage Beauty" (beleza selvagem), vai estar à disposição do público entre 4 de Maio e 31 de Julho e vai incluir mais de cem peças, entre fotografias e peças dos arquivos de McQueen, assim como modelos de colecções privadas e da casa Givenchy, para quem o irreverente estilista chegou a trabalhar.  

Quem já deu uma espreitadela foi Anna Wintour, a famosa editora da Vogue Americana que inspirou o filme “O Diabo veste Prada”. A respeitadíssima ‘opinion maker’ da moda esteve em Londres, no passado 22 de Fevereiro, para apresentar a colecção à imprensa daquele que considerava ser “um dos maiores talentos da moda da sua geração”. É mais um pretexto para ir a Nova Iorque ou não? RSG

Tags: ,



28.02.2011 - Por Fora de Série, às 17:04

 

Automóveis e ambiente. Duas áreas que estão cada vez mais próximas e que, normalmente, resultam em inovadoras tecnologias. O segmento do luxo não foge à tendência ecológica e, desta feita, é a vez de a Rolls Royce apresentar o seu “eléctrico”, que é como quem diz, o modelo amigo do ambiente. Por enquanto, ainda se fala só em conceito mas a ideia promete ocupar muitas garagens. Ainda mais porque se trata do carro icónico da marca, o Phantom, aquele imponente modelo com quase seis metros de comprimento. A diferença do clássico para este, dos novos tempos, é que o propulsor será alimentado por uma bateria.

O único exemplar já produzido será apresentado no próximo Salão Automóvel de Genebra, que vai decorrer entre 3 e 13 de Março, e o protótipo será o ponto de partida para os testes ainda necessários para comprovar a viabilidade do projecto. Isto porque, a marca britânica quer saber o que pensam os seus exigentes clientes sobre a utilização da energia eléctrica neste modelo. Por esta razão, a Rolls Royce vai fazer, durante este ano, um ‘tour’ pela Europa, Médio Oriente, Ásia e América do Norte para apresentar aos clientes a tecnologia desenvolvida. Antes de arrancarem, já foram anunciando que o 102 EX Phantom Experimental Electric consegue circular em ambientes com elevadas temperaturas e que a autonomia da bateria é boa. O valor de investimento para este projecto ainda está em segredo, mas a especulação, claro, não demorou. Fala-se que o custo poderá ultrapassar o milhão de euros. AFA

Tags: